sábado, 25 de junho de 2011

Quote of the day: Rainer Maria Rilke


"For poems are not, as people think, simply emotions (one has emotions early enough)—they are experiences."
— Rainer Maria Rilke

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Pessoa Diário: Cansa sentir quando se pensa


Fernando Pessoa

Cansa sentir quando se pensa

Cansa sentir quando se pensa.
No ar da noite a madrugar
Há uma solidão imensa
Que tem por corpo o frio do ar.

Neste momento insone e triste
Em que não sei quem hei de ser,
Pesa-me o informe real que existe
Na noite antes de amanhecer.

Tudo isto me parece tudo.
E é uma noite a ter um fim
Um negro astral silêncio surdo
E não poder viver assim.

(Tudo isto me parece tudo.
Mas noite, frio, negror sem fim,
Mundo mudo, silêncio mudo -
Ah, nada é isto, nada é assim!)

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Pessoa Diário: A morte chega cedo

Fernando Pessoa

A morte chega cedo

A morte chega cedo,
Pois breve é toda vida
O instante é o arremedo
De uma coisa perdida.

O amor foi começado,
O ideal não acabou,
E quem tenha alcançado
Não sabe o que alcançou.

E tudo isto a morte
Risco por não estar certo
No caderno da sorte
Que Deus deixou aberto.

Fonte: Cancioneiro

terça-feira, 7 de junho de 2011

Tumblr Influences #2

Poem of the day: Around Us

Marvin Bell

Around Us


We need some pines to assuage the darkness
when it blankets the mind,
we need a silvery stream that banks as smoothly
as a plane's wing, and a worn bed of 
needles to pad the rumble that fills the mind,
and a blur or two of a wild thing
that sees and is not seen. We need these things
between appointments, after work,
and, if we keep them, then someone someday,
lying down after a walk
and supper, with the fire hole wet down,
the whole night sky set at a particular
time, without numbers or hours, will cause
a little sound of thanks--a zipper or a snap--
to close round the moment and the thought
of whatever good we did.

Sapiosexual are you?

sábado, 4 de junho de 2011

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Regresso a um passado mais recente: ruídos

ruídos

o ruído
do meu corpo tombado
inexpressivo
num deserto sem cor

hábil
no contorno
distante monóculo
perímetro de segurança
alerta

pele
poder
palavra

embargo
de incenso
raízes
fractura imposta

maçã mordida
cegueira
dançamos

um passo
posso mudar
devagar
posso mudar
sem saber

Going back to the past - old poems: gry































gry

there is a time in our lives where we recognize ourselves.

and then we ask ourselves: what have i been doing so far?

protecting myself.

Citação do dia: Pessoa Diário

















«Tudo quanto o homem expõe ou exprime é uma nota à margem de um texto apagado de todo. Mais ou menos, pelo sentido da nota, tiramos o sentido que havia de ser o do texto; mas fica sempre uma dúvida, e os sentidos possíveis são muitos.»

Calm and cozy: Part I